Com a volta das viagens a trabalho no Brasil, uma boa aposta para os produtores é o Turismo de Negócios e Eventos (TNE). Segundo dados da Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp), a atividade faturou R$ 869 milhões em março de 2022.

O setor já exercia força na economia do país antes da pandemia. Não à toa, o Ministério do Turismo (MTur) reconhece esses deslocamentos profissionais como um dos mais importantes e dinâmicos do setor turístico.

Para aproveitar esse público, o organizador deve conhecer bem os formatos mais comuns de encontros do gênero. Por isso, este post irá apresentar:

  • o que é turismo de negócios e eventos;
  • como funciona o turismo de negócios e eventos e qual a sua importância;
  • turismo de negócios eventos: 6 formatos de encontros para investir nesse segmento;
  • como o organizador pode aproveitar o crescimento do setor de turismo de negócios e eventos;
  • turismo de negócios e eventos como oportunidade de crescimento de produtores no campo corporativo.

Confira!

O que é turismo de negócios e eventos?

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Turismo de Negócios e Eventos (TNE) é o conjunto de atividades turísticas decorrentes dos encontros de interesse profissional, associativo e institucional de caráter:

  • comercial;
  • promocional;
  • técnico;
  • científico;
  • e social.

A modalidade vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil com a constante globalização econômica, avanço da tecnologia e o desenvolvimento dos meios de transporte nacionais e internacionais.

Para se ter uma ideia, o TNE movimentou, em 2013, 209,2 bilhões de reais, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC), em pesquisa realizada pela Associação e pelo Sebrae.

O estudo ainda aponta que, naquele ano, 590 mil produções nacionais e internacionais foram realizadas no país, sendo 95% delas nacionais. Ao todo, o segmento gerou R$ 48,7 bilhões em impostos, 7,5 milhões de empregos diretos e indiretos e representou 4,3% do Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB).

A seguir, veja mais sobre a importância desta prática e como ela funciona.

Como funciona o turismo de negócios e eventos e qual a sua importância?

O turismo de negócios e eventos engloba uma série de ações para atender ao público de pessoas que transitam entre países, estados e cidades por motivos profissionais.

Entre as atividades mais promovidas estão as socioculturais, que envolvem lazer, cultura e educação, seguidas de reuniões e convenções. Essas produções costumam ser realizadas pela própria empresa de origem dos turistas com a finalidade de alinhar os interesses dos membros.

O congresso é outro exemplo de ação corporativa bastante apreciada na modalidade, que tem por objetivo reunir associações e entidades de determinado setor para troca de informações, experiências e contratos.

A importância dessa atividade consiste nas diversas vantagens de promovê-la. Algumas das principais são:

  • combate à sazonalidade — as atividades relacionadas ao Turismo de Negócios e Eventos podem acontecer durante todo o ano, não se restringindo a datas comemorativas;
  • atração de novos públicos para o produtor de eventos;
  • conquistar autoridade de marca para as produções;
  • oportunidade para o lançamento de produtos/serviços da empresa que estiver sendo atendida pelo produtor.

Além disso, essa é a chance perfeita do organizador faturar e ganhar destaque profissional por meio dos seus serviços especializados!

Turismo de negócios e eventos: 6 formatos de encontros para investir nesse segmento

Investir na produção de eventos para o segmento de turismo de negócios pode ser muito vantajoso, tendo em vista que o mercado está em crescente expansão, conforme já apontava o Boletim de Inteligência do Sebrae de 2015.

Apesar da pandemia ter apresentado as facilidades dos eventos virtuais, reduzindo as fronteiras geográficas, as atividades corporativas presenciais ainda são bastante valorizadas. Elas proporcionam diversas vantagens para o universo empresarial, como:

  • interação face a face;
  • conexão pessoal;
  • qualidade de relacionamento;
  • ampliação do networking;
  • maior confiança na hora de fechar negócios.

Assim, as viagens seguem sendo uma peça importante no mundo dos negócios, representando apenas no Brasil 60% dos bilhetes aéreos emitidos, de acordo com informações da Abracorp.

Porém, para ter sucesso nesse segmento, o organizador deve conhecer a fundo os tipos de eventos que costumam atender esse público. É necessário se atentar a essa escolha para promover a divulgação da marca da organização que estiver sendo trabalhada.

Algumas das principais produções são:

1. Congressos

Os congressos são eventos de grande porte, que costumam ter até cinco dias de duração, com no máximo oito horas de programação cada.

Esse tipo de produção é mais flexível e pode ter abrangência regional, nacional ou internacional. O seu principal objetivo está em fomentar, apresentar e discutir temas que sejam relevantes e promovam o enriquecimento dos participantes.

Quanto a sua estruturação, costumam ser organizados em torno de uma temática principal, que pode ser destrinchada em tópicos para receber um maior aprofundamento. Dessa forma, ele é dividido em pequenos eventos dentro de um só. A programação pode incluir:

2. Feiras

As feiras são um tipo de produção bastante comum no universo de turismo de negócios e eventos. No geral, todas elas buscam expor algo, por exemplo:

  • produtos;

  • serviços;

  • inovações;

  • marcas.

É uma excelente ferramenta de marketing para atrair grandes públicos, promover interação entre fornecedores e compradores e estimular o networking. No que diz respeito a sua estrutura, elas costumam ser organizadas em estandes.

3. Workshops

Os workshops, também conhecidos como oficinas, podem servir a interesses promocionais ou comerciais. Nesse tipo de produção, os temas são trabalhados de forma mais prática. Ele costuma ser organizado em quatro fases:

  • exposição;
  • discussão em grupo;
  • execução;
  • conclusão.

O seu principal objetivo é aprofundar a discussão sobre um determinado assunto, apresentando casos mais palpáveis e, em seguida, colocando em prática o conhecimento compartilhado.

Essa é uma forma muito positiva de engajar os participantes inscritos, dando a eles a oportunidade de colocar a mão na massa, testando o que foi aprendido e adquirindo mais experiência.

4. Convenções

A convenção é outro tipo de evento corporativo de maior porte, que, por consequência, também abre espaço para uma maior participação do público, estimulando o TNE.

O objetivo é apresentar um tema para discutir e tirar todas as dúvidas sobre ele. Essa é uma produção bastante variada, que pode ter objetivos como:

  • comemorar;
  • engajar e estimular equipes;
  • promover um produto ou serviço;
  • discutir e tomar decisões importantes.

5. Cursos

O curso é outro tipo de evento corporativo mais voltado para promover a capacitação, qualificação e formação de profissionais. Podem servir a um objetivo mais técnico ou comportamental, sendo muito úteis para executar treinamentos em massa dos colaboradores de uma empresa.

Pode ser de longa duração ou mais curto. Para essa produção, o organizador deve direcionar um foco maior à exposição de conteúdo, mas sem esquecer de incluir atividades práticas.

Essa é uma excelente produção para apostar no TNE. Porém, é preciso investir em conteúdos de valor que compensem a viagem dos participantes.

6. Seminários

O seminário é um dos tipos de eventos corporativos mais comuns no TNE. A sua dinâmica é semelhante a de uma aula, funciona como um encontro didático ministrado por um especialista que fala sobre um determinado assunto, podendo apresentá-lo com o auxílio de recursos visuais.

Na maioria das vezes, para ele, é necessário que os participantes tenham algum interesse especial ou conhecimento prévio sobre o tema, pois, depois de encerrada a apresentação do expert, costuma haver um momento de tirar dúvidas ou de discussão.

Ele costuma ser dividido em três fases:

  • exposição;
  • discussão;
  • conclusão.

O principal objetivo dessa produção é informar e capacitar o público, de modo que todos consigam desenvolver novas capacidades a respeito do tema abordado.

Como o organizador pode aproveitar o crescimento do setor de turismo de negócios e eventos?

Como foi possível ver, o organizador que quiser apostar no segmento de turismo de negócios e eventos tem um leque vasto de opções de tipos de produções para colocar em prática.

Mas como crescer e se destacar nesse setor? Além de conhecer o propósito de cada uma das ações mais comuns do gênero e o que é fundamental em suas estruturas, esse profissional deve se atentar a alguns detalhes próprios da modalidade, como:

  • agenciamento turístico: é importante contratar uma agência de viagens para possibilitar a ida dos participantes ao evento;
  • acessibilidade do evento: o organizador deve escolher um local de fácil acesso para o público, sem esquecer daqueles com deficiência ou mobilidade reduzida;
  • hospedagem: a estadia dos participantes também é um ponto importante, que não deve ser esquecido na fase de planejamento;
  • alimentação e bebidas: devem ser oferecidas refeições completas aos participantes;
  • informações: o produtor deve oferecer um guia informativo e de qualidade a todos os convidados, facilitando ao máximo o encontro de informações importantes, como endereços, horários, programações, cortesias e etc.

TNE como oportunidade de crescimento de produtores no campo corporativo

O Turismo de Negócios e Eventos é um prato cheio para organizadores que querem se jogar na organização de ações corporativas. Como visto, o segmento segue em um bom ritmo de expansão, ajudando a movimentar a economia do país.

O profissional que estiver interessado em ingressar no segmento e ganhar destaque deve ter a capacidade de lidar com uma grande variedade de tarefas, desde o controle de orçamentos, contratos, entregas, transporte e acomodação dos participantes até a divulgação do evento.

Também é válido buscar desenvolver algumas competências, como:

  • proatividade;
  • criatividade;
  • boa comunicação;
  • pensamento estratégico;
  • gestão de riscos;
  • prestação de contas;
  • negociação;
  • flexibilidade.

Outro ponto bastante importante é ter um conhecimento especializado dos tipos de produções mais comuns do segmento. Aproveite e veja com mais detalhes como produzir um evento corporativo!