Quando o assunto são os eventos de networking, é possível explorar uma série de formatos e segmentos do mercado.

O céu é o limite! Os produtores podem organizar desde uma mesa redonda composta por especialistas em recrutamento e atração de talentos até um hackathon com desenvolvedores, por exemplo.

Não importa qual for a produção, o importante é criar um ambiente que priorize a troca de experiências entre os presentes. E a Sympla tem algumas dicas para ajudar os organizadores nesta missão. Confira:

Mas, antes: o que é networking?

Um profissional está trabalhando a sua rede de contatos quando faz networking. Trata-se do momento em que ele se apresenta, compartilha lições aprendidas no meio corporativo, pede dicas e indicações de profissionais e, em alguns casos, se coloca à disposição para trabalhos ou consultorias.

Na maioria das vezes, o networking não é o objetivo principal do evento, mas uma consequência da reunião de profissionais de um determinado setor. Há uma série de eventos corporativos e acadêmicos perfeitos para essa prática. Confira alguns exemplos:

  • seminários;
  • workshops;
  • mesas redondas;
  • palestras;
  • simpósios;
  • feiras etc.

Networking e produção de eventos

Diferentemente de eventos de Carnaval ou festivais de verão, que acontecem apenas em um período do ano, o networking nunca para! Há eventos corporativos com diferentes tamanhos e formatos de janeiro a dezembro.

É por isso que apostar nesse segmento pode ser uma boa pedida para o produtor de eventos. Afinal, da mesma forma que os profissionais especialistas conversam entre si para pedir dicas das suas áreas, eles também pedem indicações de outras áreas! Isso significa que o organizador estará mostrando seu trabalho para pessoas ligadas a várias empresas e instituições.

Dicas para o produtor de eventos

Criar o ambiente perfeito para o networking não é tarefa fácil! É preciso pensar em tudo para que os presentes ocupem o espaço podendo circular e conversar livremente. Eles devem sair dali cheios de ideias, aprendizados e, é claro, novos contatos.

Para assegurar que o evento cumpra essa função, o produtor deve se atentar aos seguintes pontos:

1. Credenciamento estratégico

O credenciamento é aquela etapa em que os presentes confirmam a sua inscrição e recebem, como o próprio nome já diz, suas credenciais. Mas essa etapa vai muito além do controle de acesso dos participantes.

Em geral, essa credencial, que é usada em torno do pescoço, funciona como um quebra-gelo, ajudando os participantes a se apresentarem e iniciarem a conversa.

O produtor pode disponibilizar crachás chamativos com lacunas para nome e ocupação. Também é possível separar os presentes por grupos, dividindo-os entre palestrantes, especialistas, representantes de empresas, ouvintes etc. Isso dará ainda mais insumos para bate-papos no evento.

2. Ambientação e cenografia

O espaço é fundamental para o sucesso do evento em que ocorre o networking. Afinal, os presentes devem poder circular pelo ambiente, formar grupos ou círculos no local. Por isso, nada de exagerar nos móveis! O ideal é reservar um espaço amplo e livre de mobília e, quando usá-los, preferir bancos e sofás coletivos.

A iluminação também pede atenção. Vale lembrar que ambientes escuros demais dificultam alguns encontros, não é? O ideal é encontrar um equilíbrio, criando um ambiente que seja, ao mesmo tempo, intimista e convidativo.

A visita técnica ao local ajudará o produtor a entender o espaço do evento e propor soluções de ambientação e cenografia que façam sentido.

3. Som na caixa! A trilha sonora do networking

Essa é fácil: música alta não combina com networking, né? Nesse tipo de evento, a música não deve ser a atração principal, mas precisa contribuir para a construção de um ambiente mais ou menos descontraído, por exemplo.

Quando o assunto é a escolha da playlist, é importante ainda levar em consideração o perfil do público e o formato do evento. Cada segmento demandará um estilo diferente. Pense bem: será que música erudita combina com um evento de uma arrojada startup de tecnologia?

#DicaSympla: Quer ler também sobre o cardápio ideal para eventos de networking? Aprenda sobre coffee break.

4. Atendimento in loco

Imagine só: um grande grupo de profissionais ou acadêmicos ávidos pela troca de informações em um salão. É possível que existam pessoas de nacionalidades diferentes, que ocorram atrasos na programação ou até mesmo que alguns participantes tenham dificuldade de se conectar à Internet.

Caberá ao produtor resolver eventuais problemas com rapidez para minimizar os prejuízos à comunicação. Se for necessário e possível, inclua tradutores na equipe e invista na sinalização de modo que todos possam se conectar ao Wi-Fi do local. Para quem prefere lápis e papel, um bom caminho é distribuir blocos de anotações.

Bônus: como fazer networking virtualmente?

O evento é online? Não tem problema! Ainda assim, é possível organizar uma produção pensada para a prática do networking.

O melhor caminho é explorar a ferramenta do chat da videoconferência. É importante que exista um mediador para tirar dúvidas e reforçar a dinâmica do evento nesse espaço. Ele também pode encorajar os participantes a fazerem perguntas e compartilharem seus perfis do LinkedIn, por exemplo.

Organize já o seu evento para networking

Deu para ver que o organizador de eventos tem um papel estratégico no sucesso do networking dos participantes, né? Ele garante que o espaço seja adequado e cuida de todos os detalhes: da playlist que toca até o bloco de anotações dos participantes.

Quer aprender ainda mais sobre eventos corporativos e conhecer outros formatos de produção? Continue aprendendo sobre os tipos de eventos aqui.