Quase todo mundo já percebeu que os influenciadores digitais invadiram as mídias como garotos e garotas propaganda de diversas marcas e empresas.

A presença desses influenciadores vai além do ambiente digital, com campanhas pensadas especialmente para eles. Isso porque os resultados do marketing de influência têm sido cada vez maiores.

As recomendações dos influenciadores digitais valem ouro, pois são vistas e literalmente seguidas por seus milhares – ou milhões – de seguidores. Um público que, obviamente, leva em consideração a opinião de seus influencers favoritos na hora de consumir.

Por isso, muitos eventos têm usado cada vez mais os influenciadores digitais para promover seus eventos. É o caso de grandes festivais como o Coachella, Rock in Rio e Lollapalooza.

Só em 2017, segundo uma pesquisa da agência especializada em marketing de influência Media Kix, quase 85% dos grandes festivais norte-americanos utilizaram algum tipo de marketing de influência. E a projeção para o uso de influencers como parte do marketing de eventos em 2018 é ainda maior.

Bruna Marquezine no Lollapalooza 2017 - influenciadores digitais

Foto: Bruna Marquezine no Lollapalooza 2017 // @brumarquezine

Quanto mais influenciadores digitais no mesmo lugar, melhor!

Os grandes festivais já perceberam que em se tratando de marketing de influência, quanto mais influenciadores digitais no mesmo lugar e ao mesmo tempo, melhor. Isso torna a divulgação mais poderosa, pois cada influencer atinge um grupo diferente de pessoas.

O exemplo perfeito nesse caso é o Coachella, um dos festivais mais famosos dos Estados Unidos, e que a cada ano parece concentrar cada vez mais influenciadores.

Isso não é por acaso. Há alguns anos o Coachella persiste em uma estratégia de marketing de influência muito forte, convidando várias celebridades de diferentes mídias sociais para conferir o evento de graça.

Alessandra Ambrosio, Izabel Goulart, Talita Correa e Ludi Delfino no Coachella 2018 - influenciadores digitais

Foto: as modelos Alessandra Ambrosio, Izabel Goulart, Talita Correa e Ludi Delfino no Coachella 2018 // @alessandraambrosio

Eles sabem que esse é um pequeno preço a pagar pela quantidade de publicidade que receberão como retorno para o evento.

Vale destacar que o Coachella é um festival altamente instagramável, o que contribui para as boas fotos que os influencers postam e o potencial do festival de renovar, com sucesso, seus patrocínios ano após ano.

Outro ponto interessante em relação ao Coachella é que o festival acabou se tornando uma espécie de “evento obrigatório para influencers”. Com isso, o que vimos na edição desse ano foi um recorde de influenciadores digitais brasileiros marcando presença no evento.

Grandes marcas se envolveram para garantir essa presença dos influenciadores no festival. Entre as ações que chamaram mais a atenção do público está a “Creators’ House Coachella” – uma mansão alugada nos arredores do festival, que abrigou alguns dos principais influenciadores digitais do país, como Leo Picon e Giovanna Ferrarezi, e que também apresentou ativações de marcas como Tinder, Absolut, Supplex, JBL e Ray-Ban.

Isso mostra o quanto as empresas e o público estão de olho no Coachella, e o quanto o festival só tem a lucrar com isso!

Como usar influenciadores digitais no marketing do seu evento

Para quem deseja garantir uma edição de sucesso do seu evento, o ideal é usar os influenciadores digitais antes mesmo de sua realização. Assim, os influenciadores ajudam a criar todo o hype necessário para a divulgação pré-evento.

Os influenciadores sabem como ninguém como se comunicar com fãs. Eles podem fazer isso de forma sutil e, ainda assim, dizer para todos os seus seguidores que eles “precisam” conferir o evento que está por vir, criando um efeito bola de neve na quantidade de interessados e confirmados do público.

É claro que os influenciadores também devem comparecer ao evento, afirmando a credibilidade do que indicaram aos seus seguidores. Além disso, ao postarem suas experiências, cria-se uma antecipação para a próxima edição do evento.

Pensando na pós-produção, ao usar vídeos, imagens e gifs, os influenciadores digitais têm todas as ferramentas à sua disposição para tornar um evento memorável, mesmo para aqueles que não estavam lá.

É importante também ter um bom olhar na hora de escolher com quais influenciadores digitais trabalhar no marketing de cada evento. Como os influenciadores geralmente trabalham com temas e assuntos específicos, o conteúdo do festival deve falar com sua proposta editorial e estilo de vida.

No caso dos festivais, participar desses eventos faz parte do estilo de vida de muitas gerações e públicos de nichos diferenciados, por isso a escolha dos influenciadores digitais pode ser bem abrangente. Você está buscando um influenciador de moda? Gastronomia? Cultura nerd? Games ou celebridades?

Também é interessante considerar as melhores estratégias para esse marketing de influência ser realizado. Para alguns eventos pode ser benéfico utilizar o influencer somente a curto prazo. Para chamar a atenção para o seu evento, por exemplo. Em outros casos, o ideal pode ser um trabalho a longo prazo, numa estratégia de construção de marca e de relacionamento.

Como exemplo de ação no curto prazo, uma das mais comuns é o sorteio de ingressos para o evento, que serve como ferramenta para engajar o público dos influenciadores. Já como ação a longo prazo, o conteúdo dos influenciadores é pensado para construir uma experiência do festival. Por exemplo, usando-os para divulgar uma parceria feita com alguma marca e que será apresentada com exclusividade durante o evento.

Lembre-se: quando os influenciadores compartilham seu conteúdo autêntico sobre o festival, eles contribuem para a imagem pública desse evento.

Conseguir que os influenciadores certos ajudem no marketing do seu evento pode criar uma onda de hype que influencie diretamente a intenção de seu público voltar a cada edição.

Rodrigo Simas no Lollapalooza 2018 - influenciadores digitais

Foto: Rodrigo Simas no Lollapalooza 2018 // @simasrodrigo

Microinfluenciadores e o influenciadores ideal

Ao convidar influenciadores digitais para um evento, você não está apenas tornando-o mais memorável para aqueles que o frequentam, mas também fazendo dele mais desejado para aqueles que não estavam lá.

Procurar influenciadores usando hashtags (#) que tenham a ver com a proposta do evento é uma boa dica para quem deseja compilar uma lista de potenciais influencers para cada tipo de evento.

É importante pensar, inclusive, que os influenciadores não são apenas figuras públicas com números gigantescos de seguidores em suas redes sociais. Há diversos nichos de profissionais, como os microinfluenciadores, pessoas que não estão na casa dos milhões de seguidores, mas que dentro do seu nicho têm uma grande influência e um grande engajamento do seu público.

Em muitos casos, o resultado de trabalhar com um microinfluenciador é até melhor quando comparado a uma celebridade mega conhecida. Isso porque, uma das vantagens desse estilo de influencer, é que ele parece “mais real”, gerando maior identificação com o público: “Se ele pode estar nesse evento, eu também posso”.

Outro ponto positivo em escolher microinfluenciadores para o marketing de influência do seu evento é visto na parte financeira, já que os valores de contratos com esses profissionais tendem a ser menores.

A chave para o marketing de influência dar certo não é apenas encontrar influenciadores, mas também elaborar estratégias que levem em consideração o objetivo da ação – deixar o evento mais conhecido? Aumentar as vendas de ingressos? Aumentar o clipping do trabalho de assessoria de imprensa?

Antes de convidar um influenciador digital, comece levantando as perguntas que definirão o retorno sobre seus investimentos.

Independentemente do perfil, utilizar os influenciadores digitais como ferramenta para alcançar esses e outros objetivos é uma estratégia que tem apresentado bons resultados. Afinal, quem não quer estar no mesmo evento onde estão seus ídolos?