O Rock in Rio é um dos maiores e mais tradicionais festivais do Brasil. Por isso mesmo, olhar para ele de uma forma mais atenta traz algumas lições que podemos aprender sobre experiências, principalmente em relação a como conquistar a atenção do cliente e também como aproveitar ideias que possam inspirar os seus eventos.

Pensando em ajudar os produtores de eventos que estão procurando boas ideias para aplicar em seus projetos, separamos algumas lições que podemos aprender sobre experiências com o Rock in Rio. Esses aprendizados funcionam como dicas que podemos colocar em prática ou adaptar em suas produções, e nos mostram que é possível ir além do óbvio e estar sempre criando coisas novas para surpreender e agradar ao público, mesmo em um evento tão grande como o Rock in Rio.

7 lições que podemos aprender sobre experiências com o Rock in Rio

Por definição, o Rock in Rio é um festival de música. Sua proposta é trazer diversos shows nacionais e internacionais que acontecem durante sete dias de festival, divididos em dois finais de semana de apresentações. Mas o evento não se limita apenas à música, e é por isso que ele continua oferecendo experiências tão únicas aos seu público, que soma cerca de 100 mil pessoas por dia.

Confira as lições sobre experiências que podemos aprender com o Rock in Rio que nós separamos, e inspire-se!

01. Pensar em um conceito completo para o evento

Embora seja um festival, o Rock in Rio vende o conceito de parque temático. Isso quer dizer que além dos shows, ele oferece muitas outras atrações ao público. E toda a sua estrutura e suas atrações reforçam essa ideia: há grandes praças de alimentação, brinquedos de parque de diversões, muitos espaços de ativações de marca, palcos para os shows, lugares especiais para tirar fotos e até uma capela para casamentos. Realmente, é um verdadeiro parque temático cheio de opções de entretenimento e diversão!

Com isso, aprendemos que é muito importante ter a ideia exata do conceito do evento que você deseja entregar ao público, para então realizá-lo por completo.

Ao abraçar o conceito de parque temático, o Rock in Rio precisa preparar seu espaço e suas atrações para entregar isso às pessoas. O mesmo acontece com uma festa temática, por exemplo: é preciso que todos os detalhes da festa, como cardápio, a decoração e a música estejam de acordo com o tema proposto para fazer com que os clientes realmente experimentem o que foi prometido.

02. Apostar em produtos que levem o nome do evento

O Rock in Rio se tornou uma grande marca. E com isso, há diversos produtos que levam o seu nome e slogan: camisetas, bonés, chaveiros, isqueiros, copos, bandanas… a lista de produtos é abundante. E daqui tiramos mais uma lição sobre experiências com o Rock in Rio: as pessoas gostam de produtos que podem levar para casa. Então, por quê não colocar o nome do seu evento nesses produtos?

Você nem precisa trabalhar exatamente com um grande licenciamento de uma variedade de itens, como o festival. Uma ideia bacana é apostar em brindes simples que levem o nome do seu evento, empresa, marca ou produto. Coisas como um copo, um chaveiro ou um boné, por exemplo. Aí não tem pra ninguém, afinal, quem não ama levar um brinde pra casa?

03. Aproveitar outros temas que combinem com o seu

Como falamos acima, o Rock in Rio não se limita a ser apenas um festival de música. O evento dá espaço para outros tipos experiências, incluindo outras manifestações artísticas, como aconteceu na edição 2017, quando o festival apostou em grafites que deram origem a obras de arte vendidas no próprio evento, e cuja renda foi revertida para o Amazonia Live, projeto socioambiental para o plantio de árvores.

Assim vemos que é sempre interessante abrir espaço no seu evento para outros temas que tenham afinidade com o conceito que você planejou. Como o Rock in Rio mostra, música combina com todo tipo de arte, então se o seu evento é musical, considere abrir um espaço para exposições de obras, intervenções de dança, grafite, lojas de discos, feiras gastronômicas, estúdios de tatuagem etc.

Além de incrementar o seu evento, boas parcerias podem surgir daí.

04. Ouvir a opinião do público

Em 2017, grande parte do público pediu a cantora Anitta na programação do Rock in Rio. Mas o festival acabou não escalando a cantora naquela edição. Mesmo assim, a opinião do público foi ouvida, e Anitta foi a estrela da edição 2018 do festival em Lisboa, e claro, já é presença garantida na edição 2019, no Rio de Janeiro.

Essa é das principais lições sobre experiências que aprendemos com o Rock in Rio: ouça o seu público.

Nem sempre o pedido do público poderá ser atendido num primeiro momento, mas leve em consideração o que ele está falando e, assim que possível, atenda, como fez o festival.

05. Abrir espaço para inovações

Na edição 2017, o Rock in Rio trouxe a Game XP, um espaço dentro do festival dedicado a games, experiências em Realidade Virtual, entre outras coisas do universo da tecnologia e inovação. O espaço teve recorde de visitantes em todos os dias.

Esse é só um exemplo de como olhar para opções inovadoras também pode ser interessante. Muitas pessoas se interessam por tudo o que é relativo ao futuro, e participar de experiências que dão essa sensação sempre gera curiosidade, consequentemente, participação do público.

Mas, não é preciso elaborar coisas tão mirabolantes. Painéis interativos, por exemplo, já são bem comuns e ainda geram um ótima interação. Vale pensar em opções que caibam no orçamento do seu evento, mas que tragam um pouco dessa “modernidade” para o público. Uma dica é buscar um patrocinador que ajude a financiar esta experiência. É melhor chegar até eles pedindo dinheiro para algo que vá somar na experiência do público de seu evento que simplesmente querer vender um espaço para ele expor um banner ou sua logomarca.

06.  Olhar para onde é possível crescer

O Rock in Rio viu o potencial de sua marca e apostou nela. Depois de várias edições muito bem sucedidas no Rio de Janeiro, o festival percebeu que estava no mesmo nível de grandes festivais internacionais. Então, por quê não levar o Rock in Rio para outros países? E assim o festival já realizou edições em Portugal, na Espanha, na Alemanha e nos Estados Unidos.

Aqui temos outra lição importante sobre experiências que aprendemos com o Rock in Rio: olhar para as possibilidades e oportunidades que podem surgir para o seu negócio. Outro bairro, outra cidade, expandir o evento pela região, realizar mais edições… O importante é encontrar a melhor forma de crescimento para o seu evento, alinhada à identidade se sua marca.

07. Sempre oferecer novidades ao público

Como você já aprendeu, a cada ano o Rock in Rio traz novidades para o seu público. Uma de suas ideias é apresentar áreas temáticas que reproduzem diversas culturas, como o Rock Street África, em 2017, e o Espaço Favela, em 2019. Assim, o público já espera uma novidade a cada edição do festival.

Essa é a mistura da fidelização de uma prática (sempre oferecer uma novidade) e a possibilidade de surpreender o público (a expectativa para ver qual será a novidade da vez). Quer dupla mais poderosa para conquistar o público?

Para conferir mais dicas sobre como levar boas experiências para o seu público e melhorar a produção dos seus eventos, fique sempre de olho no blog da Sympla. E se você gosta de aprender com festivais, confira 10 festivais nacionais e internacionais que todo produtor de eventos deve conhecer.