Criar um curso online é uma forma de empreender em um mercado cada vez mais digital. Afinal, eles são infoprodutos versáteis, duráveis e acessíveis que têm sido demandados como nunca!

Na pandemia, a procura por cursos à distância teve aumento de até 50%, de acordo com a Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED).

E se engana quem pensa que essa é uma tendência passageira. A empresa de consultoria EducaInsights mostrou que, em 2022, o curso online deve superar o presencial.

Portanto, uma boa pedida é aproveitar o cenário favorável para compartilhar conhecimentos e habilidades e, é claro, ganhar por isso! O melhor? Tem espaço para todas as áreas do conhecimento e atuação profissional!

Neste texto, o produtor digital ou aqueles que querem começar a empreender no online vão aprender mais sobre:

  • o momento e as tendências do mercado de cursos online;
  • os motivos para investir no formato;
  • o passo a passo para a criação de cursos online vendáveis;
  • as principais métricas dos cursos online;
  • a ferramenta necessária para começar.

Vamos lá?

Curso online: o que é e por que criar?

Não tem segredo: cursos online são sequências de lições gravadas sobre um determinado assunto, que podem ser consumidas na web ou pelo smartphone. Em alguns casos, esses vídeos são acompanhados de aulas ao vivo e materiais de apoio, como apresentações e ebooks.

Em outras palavras, para o produtor digital, cursos online são oportunidades. É que todas as pessoas têm algo a ensinar e, por outro lado, o mundo está cheio de pessoas querendo aprender mais sobre assuntos diversos – e dispostas a pagar por isso.

Na era digital, até a educação formal migrou para o online, e já existem cursos de graduação e pós inteiramente virtuais. Mas o universo de cursos online vai muito além! O produtor pode explorar temas como:

  • Negócios, carreira e empreendedorismo;
  • Marketing e vendas;
  • Espiritualidade e bem-estar;
  • Família e relacionamentos pessoais;
  • Música, dança, culinária, artes e idiomas;
  • Desenvolvimento pessoal, disciplina, produtividade e gestão de tempo etc.

Identificar qual é a habilidade ou conhecimento que merece ser compartilhado, portanto, é o primeiro passo para começar. Neste texto, o produtor fica por dentro do restante das etapas para tirar a ideia do papel e colocar o curso na rua, ou melhor, na Internet. Não perca mais tempo e confira como criar um curso online.

#DicaSympla: Leia mais sobre o que são os cursos online.

Histórico e tendências dos cursos online

Desde que o mundo é mundo, há aqueles que precisam aprender e os que podem ensinar. Antes da Internet, no entanto, essa dupla precisava estar em um mesmo lugar e uma mesma hora para que o aprendizado acontecesse.

No espaço virtual, os encontros podem acontecer independentemente de limites geográficos, a qualquer hora do dia e da noite. O mercado de educação também mudou com a digitalização, e a produção de cursos se tornou um negócio com maior escalabilidade: uma mesma videoaula pode ensinar o número de pessoas muito maior do que aquele que qualquer sala de aula comportaria.

A dinâmica de aprendizagem ganhou novos contornos na medida em que o mercado de trabalho passou a valorizar novas habilidades, e novas hard skills foram demandadas, enquanto as soft skills ganharam destaque. Os cursos online vieram para suprir essa necessidade.

#DicaSympla: É possível transformar seu workshop em curso online! Descubra como.

Tendências para 2022

Mesmo com a flexibilização das medidas de isolamento social, os cursos online continuarão sendo a opção de muitas pessoas que querem aprender uma ampla gama de temas e otimizar tempo.

O mercado de educação online vem se transformando para atender às necessidades de um público cada vez mais conectado e exigente. Confira algumas tendências.

Ensino personalizado

Aquele formato quadrado de sala de aula, em que um professor escreve no quadro, enquanto todos os alunos fazem cópias em seus cadernos, ficou para trás. Pessoas diferentes têm preferências por métodos educacionais igualmente distintos.

Por isso, uma tendência forte para esse ano é a personalização da educação. Nesse sentido, uma boa pedida é oferecer, nos cursos, trilhas customizáveis que permitam que os alunos escolham como querem aprender – vídeo aula gravada, leitura de módulos, aulas ao vivo e por aí vai.

Treinamentos curtos

Com a rotina de trabalho, cuidados com a casa e a família, muitas pessoas deixam de se matricular em cursos online por medo de não conseguir acompanhar o ritmo.

Pensando nisso, cada vez mais produtores de cursos estão apostando em módulos curtos e objetivos para que mais pessoas possam acomodar a experiência de aprendizado em suas agendas.

Educação colaborativa

Pode ser mais difícil reter a atenção dos alunos no virtual. Afinal, falta um senso de comunidade nesse formato, não é?

Os produtores estão se preocupando cada vez mais em criar estratégias para minimizar isso! Um caminho é propor tarefas em grupo para os participantes, encorajar a interação nas aulas ao vivo e até adotar um formato híbrido, com algumas aulas presenciais.

Essas táticas são capazes de criar e fortalecer a noção de turma, tão marcante em outros contextos educacionais.

Realidade aumentada

Os produtores de cursos estão de olho no metaverso, e já é possível notar os reflexos disso no mundo do e-learning. Com a realidade aumentada, as possibilidades educacionais se expandem. É possível criar simulações de objetos e cenários, além de mimetizar uma sala de aula cheia de pessoas.

#DicaSympla: conheça os temas de cursos online que são tendência.

Vantagens da produção de cursos online

O e-learning é o futuro e tem sido a escolha de muitas empresas que precisam treinar seus funcionários e até de grandes universidades e instituições de ensino formal.

Não é à toa: a produção de cursos online é um negócio escalável e, portanto, é possível alcançar mais pessoas, ter mais alunos e, assim, ganhar mais dinheiro.

Nesse texto, você descobre como criar um curso online de sucesso. Mas, antes, confira as vantagens e razões pelas quais você deveria lançar um curso:

1. Renda passiva

O produtor só precisa criar o curso online uma vez, mas pode vender de novo e de novo, quantas vezes quiser. O resultado? Uma fonte recorrente de recursos sem esforço diário.

2. Independência geográfica e flexibilidade de tempo

É possível produzir e vender cursos online a qualquer hora, de qualquer lugar – e para pessoas do mundo todo! Assim, o produtor é livre para estar onde quiser, enquanto seu conteúdo alcança pessoas ao redor do globo.

3. Múltiplos formatos

Um curso pode virar uma série de ebooks, um canal do YouTube ou até mesmo um podcast. Explorando formatos diversos, o produtor pode atender a um público maior e, assim, multiplicar seus rendimentos.

4. Marca pessoal

Nada melhor para elevar alguém a uma posição de autoridade do que um curso online. O formato permite que uma pessoa compartilhe seus conhecimentos e, de quebra, exiba seu domínio sobre determinado assunto.

#DicaSympla: conheça mais vantagens de empreender no digital com infoprodutos como cursos online.

Exemplos

O que não faltam são produtores de conteúdo que já experimentaram as vantagens da produção de cursos online. Confira algumas histórias.

Cursos sobre o universo do café

Existe uma comunidade mais apaixonada do que a dos entusiastas do café? Pensando em atender esse público, o Tiago ultrapassou as fronteiras da sua cafeteria por meio de cursos online sobre o tema. Dê o play:

Cursos para empreendedores da saboaria

A Eloísa queria compartilhar seus conhecimentos sobre cosméticos naturais para pessoas em busca de um novo hobbie ou fonte de renda. Com o formato de curso online, ela pôde criar oficinas que espalham a arte da saboaria por aí! E, é claro, ela descobriu como criar um curso online com o Sympla Play! Quer saber mais?

#DicaSympla: Leia também sobre o momento de divulgar o seu curso online.

Como criar um curso online

Produzir um curso online pode até parecer desafiador e um trabalho extenso. Mas é interessante lembrar que, como um produto digital, o esforço de produção será pontual e os seus ganhos serão relevantes por um longo período. Afinal, uma vez que o curso está disponível para venda, é possível alcançar inúmeros alunos, de qualquer lugar.

Para facilitar, a dica é pensar na sua criação por etapas. A seguir, foi estruturado um passo a passo sobre como criar um curso online de sucesso. Acompanhe!

1. Planejamento

O primeiro passo é definir o tema do curso e o seu público de interesse. Para isso, o produtor deve refletir sobre sua trajetória profissional e pessoal e escolher um assunto que seja do seu domínio. Não basta apenas gostar de certo tópico, é necessário ter muito conhecimento e familiaridade com ele.

A partir daí, é importante estabelecer a finalidade do curso. Para chegar numa resposta objetiva, algumas perguntas podem ser feitas sobre o conteúdo:

  • economiza o tempo ou o dinheiro das pessoas?
  • inspira, faz as pessoas se sentirem mais energizadas e criativas?
  • ensina algo técnico, por exemplo, como aprender a programar um jogo?

Independentemente do assunto ou área do curso, é importante ter claro qual é a transformação que os participantes terão depois de assistirem o conteúdo. O famoso “antes e depois”.

Nesse ponto, o conceito do curso já está delineado e o próximo passo é criar a estrutura do curso, com seu roteiro e módulos. Confira algumas dicas práticas!

Faça um roteiro

Para estruturar o conteúdo a ser passado, é fundamental escrever um roteiro. Esse documento irá ajudar a construir um desenvolvimento lógico e não deixar nenhum tópico importante de lado, além de indicar qual será o formato ideal para o melhor entendimento do conteúdo.

Portanto, vale um exercício: imagine que seu curso é como um livro, que deve conter uma introdução atrativa, desenvolvimento em capítulos e uma conclusão, onde tudo se resolve.

Separe o conteúdo em módulos

Defina claramente as divisões dos módulos, agrupando informações de mesma categoria. Algumas pesquisas apontam que a atenção das pessoas diminui após 10 minutos de estudo. Assim, é interessante construir um plano de ensino em módulos que captem a atenção do estudante nesse período de tempo.

Vale utilizar apresentações descontraídas, imagens, vídeos e exercícios práticos. Se utilizar vídeos, faça-os com no máximo 8 minutos para que não fiquem cansativos, estimulando o aluno a assistir.

Escolha bem o material a ser utilizado

Muita gente acredita que cursos online não possuem apostilas nem materiais específicos. Isto é um grande erro. Nos cursos online os materiais são disponibilizados de maneira também online, em formato de e-books, infográficos ou vídeos, por exemplo.

Para isso, defina tópicos que o participante possa precisar consultar posteriormente e ofereça conteúdos complementares.

Estipule o orçamento

A produção de um curso online pode demandar alguns investimentos como: plataforma de hospedagem, cenário, equipamentos, divulgação, entre outros. É imprescindível ter um orçamento realista e bem estruturado para que a produção do conteúdo encaixe no seu bolso e gere rendimentos ao invés de prejuízos.

2. Gravação e edição

A primeira dica é fazer o conteúdo o mais objetivo possível, preferencialmente evitando aulas muito extensas. Via de regra, ao gravar um curso online, buscamos quebrar os conteúdos em aulas de até 20 minutos cada.

É importante se atentar a alguns cuidados sobre a preparação do local de gravação. Se não houver um cenário planejado, o ideal é usar um lugar neutro, com fundo liso. O vídeo deve fazer o enquadramento com foco na pessoa que está falando e a iluminação do ambiente deve ser um ponto de atenção.

Ainda, praticar as falas antes de iniciar a gravação pode ajudar a otimizar o tempo e melhorar a oratória e dicção do locutor. Confira outras dicas:

  • garanta que não haja interrupções e isole barulhos externos;
  • cuidado com a velocidade da fala, falar muito rápido pode atrapalhar o entendimento e falar muito devagar pode dispersar a atenção do aluno;
  • use entonação na fala para enfatizar partes importantes do discurso e apresentar o conteúdo de forma mais dinâmica;
  • evite ficar olhando para uma tela ou um papel de anotações, é mais interessante falar de forma natural, sem leitura, e olhando para a câmera;
  • escolha um figurino coerente com o momento, afinal, assim como o cenário, ele ajuda a compor a imagem apresentada.

Como manter o engajamento do público durante o curso?

Uma das melhores maneiras de reter a atenção e o engajamento do público é estimulando a interação entre os alunos – especialmente se o curso for realizado ao vivo. Quando as pessoas sentem que podem ser chamadas a qualquer tempo, elas naturalmente prestam mais atenção.

Se o curso for gravado, é possível ainda assim estimular a interação entre seus alunos propondo momentos de reflexão. Podem ser usadas perguntas do tipo “imagine essa situação” ou mesmo convidando-os a fazer alguma anotação ou resolver um problema com indagações como “como você resolveria isso?”.

Além disso, o uso de diferentes formatos de conteúdos pode ajudar nessa questão. Pedir para que os alunos assistam vídeos de outros especialistas da área que apoiem o conteúdo ou que respondam um quiz sobre a aula, por exemplo, pode melhorar o engajamento.

Edição de vídeo

Ao gravar uma vídeo-aula, em alguns trechos pode ser necessário exibir slides de uma apresentação, gráficos ou frases de destaque. Ainda, é provável que ocorram pausas entre um assunto e outro ou até mesmo erros de gravação.

Esses pontos tornam a edição de vídeo uma etapa essencial da produção de cursos online. Afinal, um vídeo mal feito impacta a credibilidade e autoridade do produtor do conteúdo e, consequentemente, suas próximas vendas.

Mas, sem preocupações! Atualmente, já existem diversas opções de editores de vídeos, muitos deles gratuitos e de fácil usabilidade.

3. Certificado de conclusão do curso

Para os participantes, o certificado é a prova de que eles aprenderam sobre um assunto ou adquiriram alguma habilidade com um profissional capacitado.

Para o produtor, o certificado contribui para o reconhecimento das suas competências e da sua imagem como referência no mercado.

Portanto, não deixe de oferecer um certificado de conclusão para os participantes do curso e incentivá-los a divulgar o documento em redes como o LinkedIn, por exemplo.

Lembre-se que alguns pontos não podem faltar no certificado, como: nome do curso, carga horária do conteúdo, nome completo do participante, data, assinatura do produtor e, quando houver, logo da empresa e data de expiração.

Para criar o certificado, podem ser usados alguns modelos ou até mesmo um template diretamente na plataforma do curso. A Sympla, por exemplo, oferece essa opção para todos os produtores de forma rápida e fácil, sem precisar de um profissional de design para isso.

4. Plataforma de streaming

Existem diversas plataformas para cursos online disponíveis na internet, tanto gratuitas como pagas. É interessante optar por um ambiente web que já seja conhecido no mercado, pois estando o público familiarizado com a ferramenta, sua inscrição ocorrerá mais prontamente.

Ao publicar o curso online na Sympla, por exemplo, é possível utilizar o Sympla Streaming para transmitir as aulas ao vivo para os participantes. Os alunos podem interagir fazendo perguntas nos comentários, além de acompanhar a sua apresentação direto da tela do computador ou do smartphone.

Outra opção é disponibilizar seu curso no Sympla Play, plataforma feita para hospedar e vender produtos digitais. Assim, o curso pode ser acessado no formato on demand e os alunos assistem às aulas quando e onde quiserem.

A escolha da melhor opção dependerá do formato e objetivo do curso. Em ambos os casos o produtor do conteúdo tem uma área só dele, onde é construída uma página de inscrições, é feito o controle financeiro, acompanhamento das vendas e do progresso dos participantes.

#DicaSympla: 5 erros para evitar ao escolher uma plataforma de cursos online

Como divulgar um curso online

Com o formato do curso e plataforma de hospedagem definidos, é hora de divulgar o conteúdo!

Para definir a estratégia de divulgação, é interessante fazer uma análise dos concorrentes, observar o que eles têm feito e como aquilo pode ser inspirador para sua realidade. A dica aqui não é copiar a ideia de outra pessoa, mas sim criar referências para a sua estratégia.

Para isso, é essencial ter em mente qual é o público-alvo do curso e quais canais de comunicação ele costuma utilizar. Assim, é possível saber exatamente como direcionar a divulgação, que deve mostrar o valor do material e convencer o público de que ele é imperdível.

Algumas estratégias de divulgação para serem adotadas:

  • redes sociais: utilize o Facebook, Instagram e Instagram Stories para compartilhar vídeos, fotos e informações importantes sobre o curso;
  • anúncios pagos: crie uma campanha de divulgação do seu curso online no Facebook, Instagram ou Google e atinja exatamente o público desejado, aumentando as inscrições e conversões;
  • email marketing: comunique-se com o público via campanhas de email, oferecendo, por exemplo, descontos especiais e enviando depoimentos de quem já fez o curso.

Como vender um curso online

Para definir uma estratégia de vendas, é fundamental considerar o que esse curso irá agregar ao participante. Quanto mais próximo de resolver um problema real do cotidiano do público, mais valioso será o conteúdo.

Para evidenciar esse aspecto, é interessante apresentar provas reais do resultado gerado com depoimentos de ex-alunos, por exemplo.

Outro ponto importante, é se posicionar como autoridade no tema do curso. O produtor deve deixar claro os motivos pelos quais o público deve aprender com ele.

Além disso, busque tirar todas as eventuais dúvidas dos potenciais compradores. É importante falar sobre o conteúdo, o que ele ensina, qual é seu objetivo, quais são os módulos e a carga horária.

Para alguns, pode ficar a dúvida: onde reunir todas essas informações para apresentar para o público?

A resposta é em uma página de vendas online! Confira as dicas a seguir.

Crie uma página de vendas

A página de vendas funciona como uma vitrine do curso. É ela que o público irá visitar antes de efetuar a compra. Esse espaço deve ser a cartada final para demonstrar o valor do conteúdo e todas as suas características. Assim, alguns itens não podem faltar:

  • Título chamativo: tem o papel de prender a atenção do visitante e influencia no desempenho da página nos resultados de pesquisa do Google. Deve ser objetivo e atrativo para o público-alvo;
  • Imagem de destaque: além de chamar a atenção, a imagem deve passar credibilidade, compondo com a identidade visual do curso;
  • Descrição: esse é o espaço para apresentar um resumo de tudo que o produto tem a oferecer. Não é interessante que o comprador quebre suas expectativas. Portanto, vale explicar de antemão todos os detalhes importantes do plano de ensino, além das políticas de reembolso e cancelamento em caso de desistência;
  • Tipo de inscrição: nesta etapa o produtor deve definir como será feita a inscrição no curso, que pode ser paga ou gratuita. Ainda, é possível definir diferentes preços para diferentes condições de consumo, lotes promocionais, cupons de desconto, entre outras variações;
  • Sobre o produtor: esse tópico é fundamental para estabelecer a credibilidade do curso. De maneira objetiva, deve explicar quem é o produtor do conteúdo e sua trajetória.

#DicaSympla: Preciso emitir nota fiscal de eventos e cursos online?

Como criar um curso online: analisando métricas

O trabalho do produtor de cursos online não acaba depois da venda. Para otimizar a experiência dos alunos, é preciso colher dados e analisá-los cuidadosamente. A partir dessas informações, será possível identificar problemas e corrigi-los rapidamente.

Mas, em meio a um universo de números, para onde olhar? A seguir, o produtor encontra algumas métricas importantes para avaliar o desempenho do seu curso online.

Progresso dos alunos

Há sempre aquelas pessoas que não concluem um curso online, não é? Com a análise do progresso dos alunos, é possível entender possíveis razões para a desistência e obter insights para ajustes no conteúdo.

Por exemplo: se há um número significativo de alunos que abandonaram o curso em um mesmo módulo, que tal trocar aquele conteúdo?

Se a média de progresso dos participantes não é satisfatória, o produtor pode também criar uma automação com lembretes e alertas.

Agora, se os alunos não estão passando do início do curso, o motivo pode estar na introdução. Investir em um onboarding mais instigante pode ser a resposta.

Resultados de testes e atividades

Se o desempenho dos alunos nas provas do curso não é bom, isso significa que eles estão tendo dificuldade para absorver o conteúdo.

Avaliar essa métrica pode ajudar o produtor a investigar possíveis razões para o problema: algum módulo muito técnico, falta de identificação com o instrutor e por aí vai!

Para solucionar esse problema, vale criar aulas ao vivo para que os alunos possam tirar suas dúvidas e, ainda, disponibilizar novos materiais de apoio para os participantes.

Satisfação do cliente

Ninguém melhor para falar sobre sua experiência com um curso do que o próprio aluno! Ao fim do curso ou de cada módulo, o produtor pode enviar uma pesquisa de satisfação ao participante. Assim, é possível entender o que funcionou e o que os alunos gostariam que fosse diferente no conteúdo.

#DicaSympla: descubra como promover o seu curso online aqui.

Ficou mais fácil descobrir como criar um curso online!

Depois dessa leitura, ficou mais fácil produzir – e vender – um curso online, não é? Agora, o produtor só precisa arregaçar as mangas e transformar suas habilidades em um negócio digital!

A Sympla é o braço direito de quem quer maximizar seus resultados no mercado de cursos online. São soluções para cursos online de todo tipo: pagos e gratuitos, com aulas experimentais e com tipos de inscrição e duração de acesso diferentes.

Tudo com a certeza de que o conteúdo hospedado estará seguro e com suporte ao produtor!

Que tal descobrir como criar um curso online com o Sympla Play? Dê o primeiro passo: