A pandemia de COVID-19 influenciou inúmeros aspectos das nossas vidas. O escritório passou a ser a sala de casa e o happy hour a tela do computador. Além disso, muitos mercados tiveram que se reinventar para sobreviver.

Um desses setores, sem dúvida, é o de educação. Os cursos online se tornaram essenciais nesse momento, no qual muitas pessoas aproveitaram o tempo em casa para aprender algo novo ou acrescentar ao currículo uma nova qualificação.

A tendência pode ter se fortalecido durante a quarentena, mas a gente têm muitos motivos para acreditar que os cursos online vieram para ficar. Se você já tem uma ideia de curso ou workshop na cabeça, e quer aproveitar o crescimento dessa indústria, este artigo é para você.

Confira, a seguir, cinco dicas de como transformar o seu curso ou workshop presencial em uma experiência de formação online.

Por que levar seu workshop para a internet?

Mais do que aproveitar a popularidade que os cursos online adquiriram nos últimos tempos, transformar o seu evento em um tipo de EAD (ensino à distância) pode ter muitas vantagens. A primeira delas é a possibilidade de explorar um novo mercado.

Afinal, com um curso online, você tem a possibilidade de ampliar o alcance do que você tem a ensinar, atingindo pessoas sem qualquer limite geográfico ou de tempo. Conquistando mais alunos, você tem também uma nova fonte de receita e monetização.

Ao escolher uma plataforma completa, é possível revisar o seu conteúdo e oferecê-lo de diferentes formas possíveis. Essa diversidade permite adaptar tipos variados de formações, como treinamentos corporativos, workshops, masterclasses (eventos que acontecem ao vivo e tem como convidados especialistas renomados em determinado mercado), consultorias entre outros.

Transforme seu workshop em um curso online: 5 dicas

Já se convenceu de que a hora de entrar nesse mercado é essa? Para esse empurrãozinho inicial, trouxemos 5 dicas para você! Confira:

1. Defina o seu público

Você provavelmente já conhece muito bem o público do seu curso presencial, não é mesmo? Mas, pense de novo. Quando você vai para a internet, deve considerar um dos pontos que colocamos logo acima: a ampliação do seu alcance.

Ou seja, ao promover uma formação online, você terá acesso a um novo público, com diferentes demandas e caminhos de aprendizagem. Por isso, procure entender alguns pontos:

  • Quem é esse aluno?
  • Onde ele mora?
  • Por que ele procura por uma formação online?
  • O que ele espera ao buscar sua formação?
  • Como ele espera consumir o conteúdo que você tem a oferecer?

Esse mapeamento pode ser feito por meio de pesquisas com pessoas interessadas no seu curso online. Talvez, seu primeiro workshop online possa ser um modelo piloto, inclusive para você entender melhor o seu público e a dinâmica dessa troca num ambiente digital. Ao delimitar esse perfil, é hora de ir para o próximo passo e olhar para o seu conteúdo.

2. Reavalie seu conteúdo

Você provavelmente já tem um material preparado, certo? Para levá-lo para a internet, no entanto, será preciso reavaliar todo o seu conteúdo. Ao fazer isso, lembre-se de considerar o perfil do público que já foi mapeado, suas expectativas e hábitos de consumo digital.

Além disso, reveja o seu conteúdo considerando a palavra de ouro da formação online: objetividade! Nesse tipo de curso, o tempo de atenção e concentração do aluno tende a ser menor. Por isso, seja objetivo e corte tudo aquilo que não é necessário ou que vale a pena oferecer como material extra.

Uma boa dica para iniciar esse trabalho é dividir todo seu conteúdo em módulos. Assim, você consegue pensar neles individualmente e passar a caneta vermelha. Quem sabe esses cortes não te ajudam a construir um segundo curso com formação mais específica? Um módulo avançado e que exige a primeira formação como um pré-requisito? #ficaadica

3. Defina a modalidade e os formatos de conteúdo

Cursos online podem ser oferecidos em três modalidades diferentes:

  • Curso síncrono: neste modelo, as aulas acontecem ao vivo, por meio de uma plataforma de videoconferência (como a Sympla Streaming). Nesse formato, alunos e instrutores interagem ao vivo, seja por meio do chat ou áudio. Esse tipo de curso tem como principal vantagem a similaridade com o curso presencial, já que o aluno pode fazer perguntas ou participar da aula de maneira mais ativa. Apesar disso, tem como desvantagem a necessidade de participar das aulas em dias e horários pré-determinados.

  • Curso assíncrono: como o próprio nome sugere, esse formato é o oposto do anterior. Ele tem como principal vantagem a liberdade que o aluno tem para escolher o melhor momento para assistir às aulas. Ele ainda tem opção a de interagir com o(a) formador. Esse relacionamento, porém, não acontece ao vivo, mas sim por meio de mensagens, fóruns e e-mails.

  • Curso híbrido: este, na nossa opinião, junta o melhor dos dois mundos. Os alunos têm a liberdade de consumir o conteúdo da formação quando quiserem. Mas, mesmo assim, participam de alguns encontros ao vivo com o professor para tirar dúvidas e interagir sobre as aulas.

Nos modelos assíncrono e híbrido, é possível investir em formatos diferentes e criativos para os conteúdos. Esse pode ser, inclusive, um grande diferencial para o aluno na hora de escolher esse tipo de formação.

4. Acrescente conteúdos complementares

Um excelente argumento de venda do seu curso online é a inclusão de conteúdos complementares. A infinidade de formatos de conteúdos possíveis permite explorar diferentes modelos pedagógicos.

É possível, por exemplo, aproveitar a popularidade dos podcasts e criar áudios com materiais complementares. Outra maneira interessante de propor uma revisão do conteúdo é por meio de testes interativos e divertidos ou, mesmo, eBooks (livro em formato digital, geralmente um conteúdo mais aprofundado sobre determinado assunto). O céu é o limite!

5. Aposte em interatividade

Por fim, independente da modalidade escolhida para realização do seu curso, procure criar diferentes maneiras de interagir com seus alunos e fortalecer essa comunidade:

  • ofereça conteúdos extras em lives fechadas;
  • crie grupos para troca de ideias entre alunos no WhatsApp ou Telegram;
  • promova espaços para que os participantes compartilhem experiências;
  • e não se esqueça: colete feedbacks constantemente.

Mesmo que inicialmente possa parecer um desafio enorme, transpor o seu curso para o ambiente online pode ser uma oportunidade muito importante para o seu negócio.

Para continuar seus estudos e planejamento sobre esse assunto, baixe nosso eBook: Guia completo: como criar um curso online de sucesso. Até a próxima!