Um dos maiores desafios dos produtores de eventos é fugir do convencional e tentar atrair o seu público de uma maneira diferente dos concorrentes. Para isso, existe o marketing de guerrilha, considerado eficiente em atrair participantes para as produções. Esse tipo de estratégia é muito utilizada por grandes empresas que visam instigar as pessoas a participarem de eventos ou outros tipos de campanhas, como McDonald’s, Coca-Cola, Netflix, entre outras organizações.

No universo dos eventos, essa estratégia especialmente interessante, já que ajuda a aumentar a visibilidade da produção, e ainda contribui para o posicionamento do produtor, reforçando o seu reconhecimento no mercado.

Continue lendo este artigo para saber mais detalhes!

O que é marketing de guerrilha?

A expressão marketing de guerrilha foi criada em 1970, pelo publicitário americano Jay Conrad Levinson em seu livro Guerrilla Marketing Attack, inspirado em táticas criativas e métodos incomuns usados pelos vietnamitas na Guerra do Vietnã.

Com o tempo, o marketing de guerrilha passou a ser utilizado também por empresas pequenas que não tinham recursos suficientes para divulgar os seus produtos e serviços.

Com isso, essa estratégia acabou se popularizou, tornando-se muito reconhecida pela criatividade e o grande impacto que causa nas pessoas.

Em seu livro, Levinson afirma que: “o marketing de guerrilha é uma estratégia capaz de atingir as metas convencionais, tais como lucros e alegria, com métodos não convencionais, como investir energia em vez de dinheiro”.

Quais são os tipos de marketing de guerrilha?

Em espaços públicos

Sair do espaço digital para divulgar um evento é uma maneira de atingir diretamente o público e chamar a atenção para quem ainda não conhece a empresa.

Uma das formas muito utilizadas é o flash mob, apresentação ou performance curta de um grande número de pessoas. Trata-se de uma ação que costuma fazer todos pararem o que estão fazendo para ver o que está acontecendo. A reunião chama atenção e pode até viralizar, atraindo os olhares para a produção também.

Em locais fechados

Os locais fechados também podem ser uma excelente opção para quem deseja utilizar o marketing de guerrilha para atrair pessoas ao seu evento.

Algumas opções interessantes são:

  • shoppings;
  • salas de cinema;
  • restaurantes;
  • proximidades de banheiros com alta circulação de pessoas;
  • entre outros.

Aqui, a dica é explorar s concentração de pessoas para fazer ações de impacto que chamem a atenção de todos os presentes.

Ações interativas

Promover ações interativas com o público é uma maneira de engajar possíveis consumidores e fazer com que eles se lembrem que o seu evento acontecerá, mesmo só tendo visto a ação de marketing uma vez. Existem diversas formas de interagir com o público utilizando o marketing de guerrilha, como performances de comédia, sorteios, totens para tirar fotos ou botões espalhados pela cidade, onde as pessoas poderão apertar e ser impactados com alguma ação.

Quais as vantagens do marketing de guerrilha para os eventos?

Além dos benefícios que o marketing de guerrilha proporciona para os eventos já citados durante o artigo, chegou a hora de conhecer mais a fundo como essa estratégia pode contribuir para o sucesso da produção e o engajamento dos participantes.

Veja os benefícios da adoção dessa estratégia a seguir. O marketing de guerrilha:

  • não requer muitos investimentos: pode ser feito de maneira simples, mas criativa e inovadora;
  • não há limites para a imaginação: o importante é pensar em abordagens que impressionem o público e façam com que o produtor seja reconhecido;
  • posicionamento de mercado: garante que todos se lembrem dos seus eventos , ajudando a estreitar relações e contribuindo para novos trabalhos;
  • se diferencia dos concorrentes: quando todos estão fazendo o mesmo, essa estratégia de marketing pode ser ousada e cheia de personalidade.

Como implementar o marketing de guerrilha em eventos?

Além de entender o que é e quais as vantagens do marketing de guerrilha para eventos, também é importante saber como implementá-lo. Existem alguns pontos de atenção que devem ser levados em consideração antes de definir qual abordagem seguir, evitando possíveis complicações.

Confira abaixo:

1. Conheça profundamente o público-alvo

De nada adianta elaborar uma proposta inovadora e criativa se o público de interesse não estiver pronto para receber esse tipo de ação.

Já imaginou trazer visitantes que não se interessam por moda para um desfile, por exemplo? Isso traria prejuízos financeiros e para a imagem do produto.

O Burger King, por exemplo, a rede de fast food concorrente direto do McDonald’s, utiliza muito essa estratégia e precisa conhecer bem o seu público para garantir que eles não optem pelo produto do adversário.

Em 2015, uma ação realizada pela empresa foi propor em uma carta aberta a junção dos principais lanches das duas marcas e vendê-los para celebrar o dia internacional da paz. Eles seriam vendidos em um local entre os dois restaurantes.

Porém, o McDonald’s não aceitou a proposta e os lanches não puderam ser vendidos, e ainda alfinetou o concorrente dizendo que a paz por uma guerra de hambúrgueres não é equivalente à proposta de paz feita pela ONU. Viu como é importante ter bom senso antes propor uma ação?

2. Seja original

O marketing de guerrilha é uma estratégia pensada para se diferenciar dos concorrentes, ou seja, não faz sentido copiar uma ação de outros produtores e continuar fazendo o mesmo.

Essa atitude pode afastar o público, fazendo com que eles nunca mais sejam atraídos por práticas deste tipo.

A Netflix é líder no seu segmento e promove ações de interação constantemente. Ser original é a sua maior qualidade, indo sempre no caminho contrário dos seus concorrentes.

Para divulgar a estreia da nova temporada da série Orange is the new black, por exemplo, ela transformou a fachada de um prédio em Paris numa prisão, cenário no qual se desenrola o enredo.

3. Capriche na execução

Ter uma excelente ideia e não tirá-la do papel da maneira correta é um dos principais erros de profissionais de eventos, podendo manchar a sua imagem e reputação. Sendo assim, caprichar na execução é uma maneira de evitar que possíveis erros aconteçam.

Uma empresa referência na qualidade da execução é a Adidas. Em uma das suas campanhas para divulgar os 50 anos da linha de tênis Stan Smith, em homenagem a um tenista norte-americano que venceu o 1º Tennis Masters Cup em 1970, foi construída uma loja especial para que os fãs pudessem prestigiar o atleta e o modelo.

Use o marketing de guerrilha a favor dos seus eventos!

Como podemos perceber ao longo do artigo, o marketing de guerrilha é uma opção interessante para os produtores que desejam atrair mais visitantes para os seus eventos e, ainda, se tornar uma referência no mercado.

Não é preciso ter muita verba para colocar a estratégia em ação, basta ter criatividade e inovação, sempre pensando no perfil do seu público.

Pensando em outras estratégias que podem ser implementadas em eventos, a contratação de microinfluenciadores pode ser uma boa opção para melhorar ainda mais a comunicação com o público de interesse.