Negócios sociais, empreendedorismo social, projetos e políticas sociais… São vários termos e organizações envolvidas quanto o assunto é impacto social. Do poder público às organizações com e sem fins lucrativos, o objetivo sempre é o reconhecimento, entendimento e gerenciamento de um problema social, com foco na elaboração de ações eficazes para resolvê-lo ou mitigá-lo, gerando alguma mudança social.

Os problemas sociais são vários e podem atingir a sociedade como um todo. No entanto, existem setores com maior concentração de problemas e pessoas sendo atingidas – como educação, saúde, mobilidade urbana, alimentação, habitação e saneamento básico.

Como solução para amenizar essas questões, empresas e profissionais têm investido cada vez mais na produção de eventos de impacto social nos mais diversos setores – como eventos de entretenimento, cursos, palestras, workshops e até eventos esportivos. Confira a seguir como é possível levar essa iniciativa para o seu evento:

O que são eventos de impacto social?

Os eventos de impacto social existem para fomentar o ecossistema de impacto social, podendo ser organizados por qualquer pessoa interessada pelo tema, por organizações ou até mesmo pelo poder público. Além de reunir uma comunidade em torno de um tema específico, este tipo de evento também se preocupa em gerar frutos benéficos para a sociedade, promovendo iniciativas voltadas para a resolução de algum conflito.

Duas questões importantes e atualmente discutidas, por exemplo, são a igualdade de gênero e racial. Para contribuir para a diminuição destes problemas, muitos eventos passaram a contar com iniciativas inclusivas, considerando a igualdade de gênero e de raça como essenciais em sua programação.

Algumas organizações importantes – como a ONU, a Singularity University e a 100 Open Startups – mapeiam e disponibilizam dados sobre as principais urgências dos setores sociais. Por isso, se você está em dúvida sobre como o seu evento pode produzir impactos benéficos na sociedade, vale a pena consultar essas informações :)

Por que organizar um evento de impacto social?

Há diversas razões para organizar um evento de impacto social. Talvez, todas elas estejam relacionadas às três palavrinhas: inspiração, conexão e ação.

Os eventos de impacto social podem contribuir com mudanças positivas desde o início, quando as pessoas ainda estão conhecendo sobre o tema, entendendo a sua importância e o que podem fazer para fomentar esse ecossistema. Também podem contribuir quando os atores desse ecossistema já possuem noção sobre a área, sendo capazes de refletir e discutir sobre novas ideias e ações. Por fim, também existem as ações – ou seja, eventos voltados para a mão na massa, tanto para criar soluções de impacto social quanto para aperfeiçoar iniciativas já existentes.

Atualmente, é essencial que tudo produza um impacto social positivo – em alguns setores, esses resultados devem ser ainda mais presentes. Pessoas, organizações sociais e empresas precisam se unir em prol dessa mudança. Prova disso é que até mesmo empresas de setores mais tradicionais da economia – como finanças e empreendedorismo – estão repensando o impacto positivo que seus serviços podem (e devem!) deixar na sociedade.

Os tipos e formatos dos eventos de impacto social

Palestras e mesas redondas

Se seu objetivo é inspirar as pessoas a respeito de um tema específico e disseminar conhecimento sobre a área, produzir um evento com palestras ou mesas redondas na programação pode ser interessante. Pode ser um evento de um dia inteiro ou apenas um turno, dependendo da disponibilidade do espaço e das pessoas envolvidas. As palestras mais curtas são ideais para dar uma ideia e mostrar as possibilidades da área, podendo durar em média, de 45 a 60 minutos.

As mesas redondas são interessantes porque unem diferentes visões sobre o assunto em um só momento e, por serem no formato de conversa, podem ser mais dinâmicas e durar um pouco mais do que as palestras. Empreendedores sociais, empresários e estudantes, por exemplo, podem organizar eventos com estruturas mais simples para fomentar o ecossistema de impacto social e fazer com que pessoas e empresas se engajem na temática abordada.

Cursos e workshops

Os cursos e workshops são voltados para pessoas que já possuem interesse na área e agora querem colocar a mão na massa, aprofundar conhecimentos, conhecer novas ferramentas e interagir diretamente com outras pessoas, também interessadas na área social. Geralmente, o workshop é um evento mais rápido e direto, abordando questões práticas sobre um tema específico e com duração média de 4h ou até mesmo 1 dia.

Já os cursos são mais extensos e podem trabalhar temas mais abrangentes. Geralmente, são voltados para pessoas e organizações que já trabalham ou querem trabalhar na área social e precisam de uma formação mais extensa, com diversos módulos temáticos. Um curso pode conter em sua programação diferentes tópicos relacionados ao impacto social e ser ministrado por diferentes instrutores. Como o foco é proporcionar uma formação mais completa, faz sentido que os participantes tenham visões variadas de profissionais de áreas diferentes, mas que de alguma forma contribuam para a área social.

Conferências, congressos e encontros

As conferências, encontros e congressos geralmente são mais robustas e incluem diversos tipos de atividades em sua programação – como palestras, mesas redondas e atividades mais práticas, podendo ter até uma semana de duração.

O objetivo desses eventos é bastante claro: gerar fortes conexões e diálogos entre empresários, organizações sociais, estudantes e pessoas que estão dispostas a construir um mundo melhor por meio de ações de impacto social, desde os que já atuam na área até aqueles que estão começando a se inserir nesse contexto.

Hackathons

Este tipo de evento é completamente dinâmico e com foco na mão na massa! Os hackathons são maratonas de ideias onde os participantes se juntam em grupos para resolver problemas reais e construir soluções viáveis em um curto espaço de tempo. Geralmente acontecem em um final de semana, e é comum que os participantes virem noites finalizando os projetos!

Café e energético são os melhores amigos dos participantes, e dinâmicas energizers (para fornecer energia) são essenciais em qualquer hackathon. Os temas mais frequentes em hackathons de impacto social são os que envolvem cidades inteligentes (smart cities), saúde, educação, sustentabilidade, tecnologia e impacto social de forma mais abrangente.

#DicaSympla: Como organizar um hackathon

Na linha dos hackathons, podemos citar o Startup Weekend, programa da Techstars de imersão empreendedora, no qual os participantes aprendem a tirar uma ideia do papel e transformá-la em um produto mínimo viável (MVP) em um final de semana. O Startup Weekend possui diversas verticais, algumas com o objetivo de desenvolver soluções de impacto social – como o Startup Weekend Social Impact, Startup Weekend Education e o Startup Weekend Heath. Também podemos citar o Startup Weekend Women, cuja missão é fomentar o empreendedorismo feminino, aumentando a diversidade de gênero nas comunidades de startups. Para organizar um Startup Weekend basta apenas ter participado de um deles – veja como participar aqui.

Outra iniciativa ligada ao impacto social são as jams, como a Global Gov Jam e o Global Service Jam. A primeira é ligada à construção de iniciativas inovadoras para o setor público e a segunda à iniciativas para o design de serviços de impacto social. Já o Hack a City, ligado à temática das smart cities, é um evento global que visa testar big data para desenvolver inovações que terão impacto na cidade como um todo. Em 24 horas, os participantes se encontram para desenvolver soluções baseadas em plataformas open source e usando dados fornecidos pelas próprias cidades.

Gerando interesse e captando apoios

Empresas e organizações tradicionais estão cada vez mais interessadas em entender como podem se reinventar e gerar mais impacto na sociedade. Por isso, não importa a sua área de atuação, tudo pode (e deve!) ter um papel social relevante em algum aspecto!

Se você possui uma empresa e deseja fomentar empreendedorismo e inovação social na sua área, organizar ou patrocinar eventos como hackathons, por exemplo, pode ser interessante. Além de associar sua marca a questões sociais do seu interesse, ainda há a possibilidade de conexão com os projetos e tecnologias que surgem desses eventos, podendo ser úteis na resolução de problemas do seu próprio negócio.

Se você organiza um evento e está em busca de parcerias e patrocínios, uma boa ideia é mapear as empresas que possuem afinidade com a temática do seu evento, mesmo que não diretamente, já que várias empresas hoje procuram se aproximar de assuntos sociais até como estratégia de marketing e de posicionamento no mercado.

#DicaSympla: Como definir cotas de patrocínio para eventos

Por falar em marketing, os tipos de apoio podem ser financeiros, mas também existe a possibilidade de permutas em troca de visibilidade ou divulgação! Ao invés de dinheiro, uma empresa pode fornecer um produto ou serviço, por exemplo. É só entender como o produto ou serviço pode contribuir no pré, durante ou até no pós-evento. É bastante comum ver marcas de café e energéticos apoiando eventos que demandam mais tempo e energia dos participantes. Um caso bem conhecido é o da Red Bull, que já apoiou diversos eventos de impacto social – em especial os hackathons, no qual os participantes precisam de energia extra. A empresa possui até uma plataforma que apoia e conecta inovadores sociais – a Red Bull Amaphiko.

Empresas de alimentação também podem contribuir fornecendo coffee-breaks e snacks aos participantes. Além disso, outros serviços como capacitações, cursos e mentorias são sempre muito bem-vindas e também contribuem com eventos desse tipo.

#DicaSympla: Como fazer um plano de marketing para eventos

 


Este texto foi escrito por Marina Mota, pós-graduada em design da informação, co-fundadora do Estúdio Cargo, professora de empreendedorismo e facilitadora do Startup Weekend, iniciativa da Techstars